sábado, 6 de dezembro de 2008

NataLebre


No "Lebre" a tradição do presépio natalício ainda é o que era.

Boas Festas para a comunidade!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Isto sim, é serviço público

No âmbito do programa simplexxx...

domingo, 19 de outubro de 2008

xapilô-do-à live @ moca

video

Quem nunca ouviu o xapilô-do-à cantado (???) pelo Russo não sabe o que perde.

Atenção à interpretação (bom, mais ou menos...) memorável dum hit dos Pink Floyd na parte final do video...

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Prémios IgNobel 2008










Com atraso, mas aqui vai a posta:

Dia 3 de Outubro último, no Sanders Theatre da Universidade de Harvard, e perante 1200 pessoas, realizou-se a cerimonia de entrega dos prémios IgNobel 2008.


Atribuídos anualmente pela revista humorística “Annals of Improbable Research” (cujo logótipo é a imagem supra), os IgNobel “honram façanhas que primeiro nos fazem rir e depois pensar” e vão já na sua 18ª edição. Normalmente, os galardoados são investigadores, cujos trabalhos foram publicados em revistas de grande prestígio internacional.

Do site http://www.apm.pt/, faço copy/paste das origens do prémio: Diz a lenda que os Prémios IgNobel foram criados por Ignatius (Ig) Nobel, familiar de Alfred Nobel, o provável inventor das bolhinhas nos sumos e co-inventor do Excelsior (material de embalagem feito à base de pequenas lascas de madeira). O seu fascínio por todas as coisas que faziam "pop", levou-o a estudar as bolhinhas nos sumos das garrafas. Ao fim de 17 anos de cuidadosas observações, Ig Nobel concluiu que não há duas bolhinhas que sigam o mesmo caminho ascendente. Este foi a principal proeza de Ig Nobel, que nunca foi reproduzida.


Para lá do disparate do teor das investigações e das descobertas premiadas, o que esta cerimónia tem de realmente giro é o nível elevadíssimo de humor e fair-play, como comprova a presença em pessoa da generalidade dos galardoados para receber o prémio, que é entregue por um galardoado Nobel (prémios denominados "os outros, os da academia sueca...") congénere, e agradecerem num discurso de 60 segundos, cronometrados por uma criança de 8 anos, que começa a berrar "boring !!!!" assim que o tempo é ultrapassado.
Desde 1996, a cerimónia inclui ainda uma mini-ópera, interpretada a meias entre cantores de ópera profissionais e laureados com prémios Nobel.
Aos curiosos, ou que quiserem passar uns momentos a rir, recomendo a consulta à página da revista, onde poderão aceder à lista completa desde 1991 até hoje.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Ericeira - Gabriel Cardoso

«Praias de águas cristalinas / De areias da cor do ouro / São beijadas pelo mar / Em espuma de rendas finas / São verdadeiros tesouros / Que sempre nos faz voltar.
.
Ericeira, Onde o Mar é Mais Azul / Nas belas praias do sul / De doirada e fresca areia / Ericeira, és tão bela e tão formosa / No desabrochar de uma rosa / Em noites de lua cheia.
.
Entre as suas tradições / Santa Marta junto ao mar / Envolve rubros poentes / Em tardes feitas serões / No seu parque a brincar / Mil crianças sorridentes.
.
Ao partir para o exílio / Da Praia dos Pescadores / Dessa adorada Ericeira / D. Amélia pede auxílio / Dão-lhe carinho e flores / E a fuga numa traineira.»


domingo, 21 de setembro de 2008

Duo Ele & Ela interpretam o hit "24 tomates" Live @ Montelavar

Versão algo diferente da original, mas facilmente reconhecivel

video



O devido autógrafo dos artistas, digitalizado após posterior edição do post

(nota: o "y" de Tony teve que ser completado por mim, porque a D. Lena queixou-se da escuridão após redigir com "i". Eu também tinha a visão algo turva...)

sábado, 20 de setembro de 2008

Eles & Elas

O canto do cisne do Verão Musical 2008 deu-se em Montelavar, com a prestação sempre interactiva e brejeira do Duo Ele e Ela, composto por José Crispim e Lena Silva, auxiliados por diversos familiares que, além de abrirem as hostilidades artísticas, fizeram o som, deram uma perninha nas teclas e venderam cds.

Em cima, ao lado do carrossel, Crispim encosta a cabeça ao seio maternal de Lena; em baixo, a tradicional foto de grupo com os fãs.

A sempre simpática e disponível Lena Silva, que terminou o show em beleza, com um (en)cantar cigano, ficou de tal forma bem surpreendida pela falange de apoio que foi ao seu Peugeot buscar uma câmera de filmar, a fim de registar os momentos de salutar convívio para a posteridade.

Boa sorte e um grande bem-haja a este duo tão familiar!

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Montelaverão

... E porque o Verão ainda não acabou, aí estão as Festas de São Mateus, em Montelavar, Sintra, para o confirmar.
Destaques para as actuações do Duo humorista "Ele e Ela" (dia 19/9, sexta-feira) e da Artista Ana Malhoa - dia 22/9 vai haver «Bei-ji-nhôô» em Montelavar.
Aposto que vai haver uma comitiva Lebre no pedaço...

terça-feira, 9 de setembro de 2008

sábado, 6 de setembro de 2008

Sugestão Cinéfila Lebre



A banda sonora deste filme (Broa de Mel; José Malhoa; Tony Carreira; Marante/Diapasão; Dino Meira...) faria as delícias dos frequentadores do saudoso "privado" da tasca mais carismática da Ericeira, que poderão engrossar o culto que se começa a gerar em redor desta bela (estória) portuguesa.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

E como o prometido é devido (ou de vidro, certo Sr. Vasquinho???)...

Eis o suado autógrafo sacado ao artista, como de costume no reino do improviso: desta feita foi nas costas dum talão MB, com um formato algo "amarfanhado", justificado pela permanência na carteira até ao presente.
Dado este "upgrade" tecnológico, estou a considerar uma busca nos meus autógrafos e eternizar uns quantos aqui no éter - alguns são verdadeira pérolas, como um da Romana, sobrinha da Ágata, que na altura dava voz (e corpo...) no "coiro" da banda da tia, e no bar "Big Waves" me fez um autógrafo com um verso que o Pessoa não desdenharia: "para o Tony, com beijoooooocas (sic) da Romany", rodeado duns sempre bem vindos corações...

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Dia 18 de Agosto ele esteve na Ericeira, nós fomos ver

No encerramento das festas da N. Sra. da Boa Viagem, o grande Zé Malhoa proporcionou a quem o foi ver um belíssimo espectáculo, num registo "best off", como seria de esperar num artista com uma longa carreira no panorama dito "pimba".
"Tony, estivador em Zurique", o meu alter-ego de bailarico, esteve lá, como as fotos confirmam, havendo ainda, evidentemente, autógrafo personalizado (de que colocarei imagem em breve, logo que ligue o scanner ao pc), numa sessão tardia mas muito agradável, e belíssimos momentos musicais registados em vídeo, que também pretendo colocar no éter.















Não contente com o disparate do "Tony", eis que na sessão de autógrafos me dá na gana arranjar um alter-ego para a minha desprevenida sobrinha (que não se descaiu, apesar de tudo...), que passou a ser a "Maggy" (nome a que o artista, simpaticamente, se associou, com um autógrafo "para a Magy"...), assegurando a continuidade familiar nesta missão por vezes espinhosa (e dolorosa, como comprova a cabeçada que desferi num dos tubos que compunham a estrutura do palco) de acompanhar as actuações dos artistas na Ericeira e arrabaldes.















Por fim, a foto de grupo, com "Tony" a emplastrar o artista, "Maggy" e a sua malta, que também esperou pacientemente, e o camarada de blog HR, que levou uma vez mais a sua já célebre t-shirt com o velcro e as letras destacáveis, a compor uma frase personalizada.

terça-feira, 8 de julho de 2008

Parabéns Malandro!


Hoje o Joaquim festejaria os seus 86 anos, se não me engano. Um grande abraço cheio de saudades do nosso amigo QUIM!

Fazes falta pá

quarta-feira, 28 de maio de 2008

terça-feira, 20 de maio de 2008

terça-feira, 22 de abril de 2008

Mais momentos para recordar...

Aqui estão algumas fotos com o Quim que guardo com muito carinho.
Estas foram tiradas durante uma noite de julho, em 2004:




Estas foram nos anos do Quim, em Julho de 2005:


P.S.- Não encontrei nenhuma com o Quim e o Antónis...pode ser que o Luijinho tenha, ele também andava de máquina.

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Fotos meio perdidas, e sempre revistas com prazer

O meu portefólio de fotos é escasso, porque não tenho máquina fotográfica, apenas câmaras daquelas fracotas, de telemóvel. Mas estas, ainda assim, vão dando para perpetuar alguns momentos bem passados. Do meu parco pecúlio fazem parte estas duas infra, as únicas da minha safra em que o nosso saudoso amigo Quim estava connosco.
Sacadas no "privado", tudo boa gente.

















Já esta daqui de baixo, os mais observadores saberão que está num dos expositores de cortiça, na parede do lado esquerdo, quando entramos na tasca (o autor ainda se recorda do Quim a preparar-se para posar com camisola do Benfas. Penteado rigoroso, pose estudada... )



















Foto: Nuno Pinheiro Sousa, que teve a gentileza de me enviar via e-mail


p.s. com grande lástima minha, não tenho nenhuma foto com o Quim.
Alminhas caridosas que tenham esses registos, queiram por favor enviar-me um exemplar para abaduarte@gmail.com
Antecipados agradecimentos


quarta-feira, 5 de março de 2008

O Tripeirossos foi ultrapassado


mas por acaso têm nomes em comum... Serão familiares?

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Onde está o Jojo?

video

Carnaval 2008 @ Túnel, 3ª feira - 11h39

link Youtube

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Sexy Tigress


Create Fake Magazine Covers with your own picture at MagMyPic.com

Ideia: HR

Concepção: PixaComXis

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

algumas das clássicas que vamos cantar de 6.º a 3.ª que vem...

Quem estiver interessado em saber as letras dos grandes clássicos das marchas de carnaval como elas são realmente (se bem que a partir de certa hora isso pouco interessa...), ou até mesmo decorá-las, tem aqui um guia simpático sacado da net.
Algumas têm a data de composição, dá para terem ideia dos anos que têm algumas daquelas musicas que se ouvem 10 vezes na mesma noite.

ALLAH-LÁ-Ô(Haroldo Lobo-Nássara, 1940) Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô Mas que calor, ô ô ô ô ô ô Atravessamos o deserto do Saara O sol estava quente Queimou a nossa cara Viemos do Egito E muitas vezes Nós tivemos que rezar Allah! allah! allah, meu bom allah! Mande água pra ioiô Mande água pra iaiá Allah! meu bom allah

AURORA(Mário Lago-Roberto Roberti, 1940)Se você fosse sincera Ô ô ô ô Aurora Veja só que bom que era Ô ô ô ô Aurora Um lindo apartamento Com porteiro e elevador E ar refrigerado Para os dias de calor Madame antes do nome Você teria agora Ô ô ô ô Aurora
BALANCÊ (Braguinha-Alberto Ribeiro, 1936) Ô balancê balancê Quero dançar com você Entra na roda morena pra ver Ô balancê balancê Quando por mim você passa Fingindo que não me vê Meu coração quase se despedaça No balancê balancê Você foi minha cartilha Você foi meu ABCE por isso eu sou a maior maravilha No balancê balancê Eu levo a vida pensando Pensando só em você E o tempo passa e eu vou me acabando No balancê balancê

CABELEIRA DO ZEZÉ (João Roberto Kelly-Roberto Faissal, 1963) Olha a cabeleira do zezé Será que ele é Será que ele é Será que ele é bossa nova Será que ele é maomé Parece que é transviado Mas isso eu não sei se ele é Corta o cabelo dele! Corta o cabelo dele!

CACHAÇA(Mirabeau Pinheiro-Lúcio de Castro-Heber Lobato, 1953)Você pensa que cachaça é água Cachaça não é água não Cachaça vem do alambique E água vem do ribeirão Pode me faltar tudo na vida Arroz feijão e pão Pode me faltar manteiga E tudo mais não faz falta não Pode me faltar o amor Há, há, há, há! Isto até acho graça Só não quero que me falte A danada da cachaça

CHIQUITA BACANA(Braguinha-Alberto Ribeiro, 1949) Chiquita bacana lá da Martinica Se veste com uma casa de banana nanica Não usa vestido, oi! não usa calção Inverno pra ela é pleno verão Existencialista com toda razão Só faz o que manda o seu coração, ôi!

CIDADE MARAVILHOSA (André Filho, 1934)Cidade maravilhosaCheia de encantos milCidade maravilhosaCoração do meu BrasilCidade maravilhosaCheia de encantos milCidade maravilhosaCoração do meu BrasilBerço do samba e das lindas cançõesQue vivem n'alma da genteÉs o altar dos nossos coraçõesQue cantam alegrementeJardim florido de amor e saudadeTerra que a todos seduzQue Deus te cubra de felicidadeNinho de sonho e de luz

A JARDINEIRA(Benedito Lacerda-Humberto Porto, 1938)Ó jardineira porque estás tão triste Mas o que foi que te aconteceu Foi a camélia que caiu do galho Deu dois suspiros e depois morreu Vem jardineira vem meu amor Não fiques triste que este mundo é todo seu Tu és muito mais bonita Que a camélia que morreu

MAMÃE EU QUERO(Jararaca-Vicente Paiva, 1936)Mamãe eu quero, mamãe eu quero Mamãe eu quero mamar Dá a chupeta, dá a chupeta Dá a chupeta pro bebe não chorar Dorme filhinho do meu coração Pega a mamadeira e vem entrá pro meu cordão Eu tenho uma irmã que se chama Ana De piscar o olho já ficou sem a pestana Olho as pequenas mas daquele jeito Tenho muita pena não ser criança de peito Eu tenho uma irmã que é fenomenal Ela é da bossa e o marido é um boçal
MARCHA DO REMADOR(Antônio Almeida - 1969)Se a canoa não virar olê olê olá Eu chego lá Rema rema rema remador Quero ver depressa o meu amor Se eu chegar depois do sol raiar Ela bota outro em meu lugar

MÁSCARA NEGRA(Zé Keti-Pereira Mattos, 1966)Quanto riso oh quanta alegria Mais de mil palhaços no salão Arlequim está chorando Pelo amor da colombina No meio da multidão Foi bom te ver outra vez Está fazendo um ano Foi no carnaval que passou Eu sou aquele pierrô Que te abraçou e te beijou meu amor Na mesma máscara negra Que esconde o teu rosto Eu quero matar a saudade Vou beijar-te agora Não me leve a mal Hoje é Carnaval

ME DÁ UM DINHEIRO AÍ(Ivan Ferreira-Homero Ferreira-Glauco Ferreira, 1959)Ei, você aí! Me dá um dinheiro aí! Me dá um dinheiro aí! Não vai dar? Não vai dar não? Você vai ver a grande confusão Que eu vou fazer bebendo até cair Me dá me dá me dá, ô! Me dá um dinheiro aí!

O TEU CABELO NÃO NEGA(Lamartine Babo-Irmãos Valença, 1931)O teu cabelo não nega mulata Porque és mulata na cor Mas como a cor não pega mulata Mulata eu quero o teu amor Tens um sabor bem do Brasil Tens a alma cor de anil Mulata mulatinha meu amor Fui nomeado teu tenente interventor Quem te inventou meu pancadão Teve uma consagração A lua te invejando faz careta Porque mulata tu não és deste planeta Quando meu bem vieste à terra Portugal declarou guerra A concorrência então foi colossal Vasco da gama contra o batalhão naval

QUEM SABE, SABE(Jota Sandoval-Carvalhinho, 1955)Quem sabe, sabe Conhece bem Como é gostoso Gostar de alguém Ai morena deixa eu gostar de você Boêmio sabe beber boêmio também tem querer

SACA-ROLHA(Zé da Zilda-Zilda do Zé-Waldir Machado, 1953) As águas vão rolar Garrafa cheia eu não quero ver sobrarEu passo mão na saca saca saca rolhaE bebo até me afogar Deixa as águas rolarSe a polícia por isso me prenderMas na última hora me soltar Eu pego o saca saca saca rolhaNinguém me agarra ninguém me agarra
SASSARICANDO(Luiz Antônio, Zé Mário e Oldemar Magalhães, 1951)Sassassaricando Todo mundo leva a vida no arame Sassassaricando A viúva o brotinho e a madame O velho na porta da Colombo É um assombro Sassaricando Quem não tem seu sassaricoS assarica mesmo só Porque sem sassaricar Essa vida é um nó

TA-HÍ! (Joubert de Carvalho, 1930)Taí eu fiz tudo pra você gostar de mim Ai meu bem não faz assim comigo não Você tem você tem que me dar seu coração Meu amor não posso esquecer Se dá alegria faz também sofrer A minha vida foi sempre assim Só chorando as mágoas que não têm fim Essa história de gostar de alguém Já é mania que as pessoas têm Se me ajudasse Nosso Senhor Eu não pensaria mais no amor
TOURADAS EM MADRI (Braguinha-Alberto Ribeiro, 1937)Eu fui às touradas em MadriE quase não volto mais aqui Pra ver Peri beijar Ceci Eu conheci uma espanhola natural da Catalunha Queria que eu tocasse castanhola e pegasse touro à unha Caramba caracoles sou do samba não me amoles Por Brasil eu vou fugir Isto é conversa mole para boi dormir

VAI COM JEITO(Braguinha, 1956)Vai com jeito vai Se não um dia a casa cai (menina)Se alguém te convidar Pra tomar banho em Paquetá Pra piquenique na Barra da Tijuca Ou pra fazer um programa no JoáMenina...
TURMA DO FUNILChegou a turma do funil Todo mundo bebe Mas ninguém dorme no ponto Aí, aí, ninguém dorme no ponto Nós é que bebemos e eles que ficam tontos Eu bebo, sem compromisso, com meu dinheiro, ninguém tem nada com isso Aonde houver garrafa, aonde houver barril Presente está a turma do funil

PAÍS TROPICAL Moro num país tropical abençoado por Deus E bonito por natureza mas que beleza, em fevereiro, em fevereiro Tem carnaval, tem carnaval, tenho um fusca e um violão Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza Sambaby Sambaby sou um menino de mentalidade mediana Mas assim mesmo feliz da vida pois eu não devo nada a ninguém Pois sou feliz, muito feliz, comigo mesmo Moro num país tropical abençoado por Deus E bonito por natureza mas que beleza, em fevereiro, em fevereiro Tem carnaval, tem carnaval, tenho um fusca e um violão Sou Flamengo e tenho uma nega chamada Tereza eu posso não ser um band leader, pois é

Tomara Que Chova(Paquito/Romeu Gentil - Gravada por, Vocalistas Tropicais)Tomara que chova,Três dias sem parar,Tomara que chova,Três dias sem parar. A minha grande mágoa, É lá em casaNão ter água,Eu preciso me lavar.De promessa eu ando cheio,Quando eu conto,A minha vida, Ninguém quer acreditar,Trabalho não me cansa, O que cansa é pensar, Que lá em casa não tem água, Nem pra cozinhar.

TEM NEGO "BEBO" AÍ – 1955(Mirabeau e Ayrton Amorim)Gravação de Carmen Costa Foi numa casca de banana que eu pisei Escorreguei, quase caí Mas a turma lá de trás gritou, chi...Tem nego "bebo" aí, tem nego "bebo" aí... Se a gente está no bonde Ou mesmo no lotação Falando um pouco alto É falta de educação Se entra num boteco Pra tomar um "parati", chi....Tem nego "bebo" aí, tem nego "bebo" aí..

NÓS, OS CARECAS - 1942 Autoria de Arlindo Marques Júnior e Roberto Roberti Nós, nós os carecas Com as mulheres somos maiorais Pois na hora do aperto É dos carecas que elas gostam mais Não precisa ter vergonha Pode tirar seu chapéu Pra que cabelo? Pra que seu Queiroz?Agora a coisa está pra nós, nós nós...

MARIA SAPATÃO (Chacrinha / Roberto / Don Carlos / Leleco)Maria Sapatão Sapatão, Sapatão De dia é MariaDe noite é João O sapatão está na moda O mundo aplaudiu É um barato É um sucesso Dentro e fora do Brasil

CAIU NA REDE (1943) Caiu na rede é peixe Le-le-á Eu não posso bobear A maré tá cheia ta-ta-tata-ta-ta Cheia de sereia No anzol Querendo se enfiar

DAQUI EU NÃO SAIO (Paquito / Romeu Gentil , 1950)Daqui não saio Daqui ninguém me tira Onde é que eu vou morar O senhor tem paciência de esperar Inda mais com quatro filhos Onde é que vou parar

MARIA ESCANDALOSA (Klecius Caldas / Armando Cavalcanti, 1954)Maria Escandalosa Desde criança Sempre deu alteração Na escola Não dava bola Só aprendia O que não era lição Depois a Maria Cresceu Juizo que é bom encolheu E Maria Escandalosa É muito prosa É menirosa Mas é gostosa

MARCHA DA CUECA (Carlos Mendes / Livardo Alves / Sardinho) Eu brigo Eu mato Quem robou minha cueca Pra fazer pano de prato Minha cueca Tava lavada Foi um presente Que ganhei da namorada

TRISTEZA (Haroldo Lobo e NiltinhoTristeza) Por favor vai embora A minha alma que chora Está vendo o meu fim Fez do meu coração A sua moradia Já é demais o meu penar Quero voltar aquelaVida de alegria Quero de novo cantar la ra rara, la ra rarala ra rara, rara Quero de novo cantar

domingo, 27 de janeiro de 2008

URGENTE!! Carnaval 2008

Ilustres taberneiros, como já vai sendo tradição na sexta feira de carnaval vamos jantar a Torres Vedras. Para isso acontecer precisamos de avisar o amigo Marlon Brandão aka Toninho Gama, ou deixar comentário aqui no tasco até no máximo 3ª feira, para o nosso amigo eleger um local de repasto ao melhor nível dos foliões do Lebre.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Vira-Casacas do Seixal Saloio

Tanto defende a Ota com unhas e dentes como vira agulhas para Alcochete, tudo em nome do seu amado Governo Socrático, que não merece contestação sequer quando comete as maiores borradas e atropelos.
No entanto, a Lente da Misericórdia (sempre atenta) apanhou-o coberto por uma mantinha laranja - a cor da malfadada oposição partidária.
Será apenas protecção contra o frio trazido pela Lei do Tabaco, ou uma mudança de pele perspectivando a tempestade política que se avizinha?